segunda-feira, 14 de março de 2011

Cabelos brancos

Bom dia aos meus quase "1 milhão de amigos"!!!

      Quero compartilhar com vocês algo que escreví sobre a brevidade da vida. Nada pretencioso. Apenas uma reflexão sobre a experiência maravilhosa de viver e  o aprendizado advindo dela!
       Um beijo a todos! Como podem ver na lista ao lado, temos hoje 99 seguidores. Quem será o nosso centésimo? Lembrem-se de divulgar o blogue e nos ajudar a conquistar o nosso alvo maior que é criar a Fundação Ovelha Leão de apoio a portadores de câncer!

CABELOS BRANCOS
 
        Um  belo dia no auge da sua juventude exatamente quando  você exala saúde,  transpira vida e beleza,  ele aparece de forma nada sutil. Normalmente na primeira vez  sozinho, porém nada discreto.  Se destaca dos demais, lembrando que a vida está passando. Que o relógio do tempo não pára e que os dias estão se escoando tal qual no relógio de areia...
       Num simples ato, certeiro, rápido com precisão cirúrgica, entre os milhões que me acompanham, me dirijo a ele e arranco-lhe não me importando se irá doer ou não. Dor maior foi vê-lo ali! Intrometido... Atrevido... Revolucionário... Vencido... Com apenas dois dedos foi destruído e esquecido...
      A vida continua com suas idas e vindas, seus aclives e declives, curvas, buracos, paisagens e acidentes de percurso. Tanta vida a viver,  conquistar,  conhecer, aprender... Aquele curso maravilhoso que vai enriquecer meu currículo. Aquela viagem inesquecível que um dia ainda terei dinheiro para fazer: Israel, Lisboa, Paris, Londres...e ...
  
Aquela visita na casa da vovó que entre minhas prioridades deixou de ser prioridade a muito tempo, porque apesar dos deliciosos bolinhos que ela faz, a sua saúde já não é essas coisas e para não vê-la sofrendo vou adiando para amanhã... Amanhã que de futuro se torna passado, se torna hoje, se torna ontem... Que traz consigo em mais um dia que  poderia ser comum a dura revelação do espelho: Lembra daquele infeliz que apareceu outro dia? Aquele que foi arrancado e expulso da minha vida sem pena e sem dó? Pois bem, o infeliz tal qual a ave “Fênix” da mitologia reaparece e desta vez acompanhado! Não são muitos, mas me assustam e  incomodam. Será que é com todo mundo assim ou é só perseguição comigo? Será que o relógio só anda prá mim? Porque os infelizes não vão aparecer lá na casa da Renata, da Patrícia, lá na casa daquela maravilhosa da Soninha, que de tão bela parece que o tempo  para ela decidiu parar!
          Como se foram os outros, assim irão vocês! Arrancados, pisados, jogados fora, esquecidos... A vida vai continuar! Tenho mais o que fazer além de arrancar  e  preocupar-me com os visitantes indesejados que batem à  porta da minha vida!
        Deveríamos ter a chave da nossa vida e deixar entrar apenas aqueles que nos fazem bem!
Aqueles a quem queremos... Desejamos!
 
Se fosse assim, o sofrimento não entraria a doença não entraria, a decepção ficaria fora, a dor jamais pisaria com seus sujos pés que sempre deixam marcas na nossa sala tão limpa! Como ainda não tenho, outro dia lá estavam lá eles novamente. Eu não havia notado, mas se passaram anos e anos desde a primeira vez em que o primeiro apareceu sozinho. Desta vez vieram em bandos. Muitos! Brancos como fios de prata! Sabe que o sentimento foi diferente desta vez? Não mais desdém, não mais revolta... Não sei explicar: Talvez um misto de conformação e respeito! Respeito mútuo porque se apareceram na minha vida é porque  o tempo já os avisara que eu estava preparada, e mesmo que não estivesse viriam de qualquer maneira, motivo pelo qual deveria também aceitá-los e respeitá-los!
             Aprendi a receber aquilo que Deus e a vida me dão. Não me revolto, nem sofro (alguém disse que: “A dor é inevitável, o sofrimento opcional.”), nem mais arranco os cabelos! Aprendi que a sala da minha vida recebe muitos convidados e que alguns que tentei expulsar nem eram tão ruins assim! Voltaram, insistiram me fizeram conviver com eles e assim aprender!
      Hoje estou em paz comigo mesma! Na grande escola da vida aprendi que algumas coisas não podem ser mudadas! As maiores mudanças que eu exigia  e esperava do mundo  tiveram que começar por mim mesma! Sim, eu tenho que mudar a cada dia, melhorar a cada dia, me aperfeiçoar se quiser ser feliz! Nestas mudanças onde nem tudo posso aceitar (o câncer, por exemplo, nunca aceitei, veio e subsiste apesar da minha resistência!), continuo recebendo na minha sala todos os visitantes que Deus e a vida me enviam. Procuro receber a todos muito bem. Mas sempre deixo claro: Apesar  de ainda não ter a chave da sala para que possa impedir a entrada de hóspedes indesejáveis, ainda sou a dona da casa! Proprietária absoluta! Se quiserem vir que venham, vou fazer o possível para recebê-los com a maior naturalidade possível, mas que saibam que sou eu quem estabelece as regras da minha casa e ninguém irá mudar isto!
        Com cada um que chega, tenho um acordo particular. Lembram-se daquele primeiro convidado do início da história? Do “revolucionário vencido”?  Pois bem, não é mais branco como a neve! Ele aceitou que pode aparecer sozinho ou acompanhado, já gosta tanto de mim que sempre aparece trazendo família e amigos. Este é o nosso acordo:  Que ele venha, pois sempre o receberei feliz! Mas  que esteja preparado, pois assim como  a vida me transformou, que ele também se sujeite a vida e às regras da minha casa. Ele já até sabe:  Sua nova cor será: Louro claríssimo número 10. Pois é este o endereço da minha casa: Rua Onde o Tempo se Fez Valer, nr.10 – Bairro Felicidade!

8 comentários:

Keilor disse...

D++++

Ps. Só pra esclarecer, na casa da Patrícia, eles estão proibidos de ir!!!! Rsrs!

Super beijo!

Cancer de Mama Mulher de Peito disse...

Tudo é uma questão do momento em que estamos vivendo.
Sempre tive pouquinho cabelo, a indiazinha aqui era quase careca, então eles(os branquinhos) e quantos mais viessem seriam bem vindos.
Depois com a quimio., ai é que você muda, gostaria naquele momento de ser o Walmor Chagas.
Agora depois de seis meses, tenho tanto cabelo como jamais tive antes.
Negros como uma noite sem lua.
Eu acho graça, porque afinal o melhor da vida é ser feliz.
Bjs.
Wilma
www.cancerdemamamulherdepeito@blogspot.com

Kleyton & Lucibele disse...

E qual é o meu número hein??? já estao chegando em bandos como vc disse...mas faz parte...amei seu novo endereço...super bjo pra vc, e nunca se esqueça que o importante é ser feliz!!!

Ana Carla disse...

Na minha eles já entraram faz tempo! rs
As vezes ficam por um tempo, as vezes são alterados rapidamente, e as são vezes arrancados imediatamente...
A vida é um constante movimento mesmo!
Grande beijo!

Kelton disse...

Te amo!!!
Estou com Saudades...

Estou AMO com TE saudades... AMO estou SAUDADES.

A ordem dos fatores aqui nao altera o produto! Vem logo!

Beijos daquele que RASPOU antes de passar por isso

Karina - Frei-Sein disse...

Que Saudades de seus textos minha amiga!!
Seu dom de escrever sobre sentimentos, aqueles que levamos no fundo de nossas almas, é imenso!!
Estou twittando e divulgando no facebook e orkut seus textos e endereço do Blog minha amiga!!
Vamos abraçar a causa!!
Te doro!!
Bjinhosss...
PS: Como estás??

Patricia disse...

Concordo com o Keilor!kkk Mas e isso meuuu! o negocio e ser feliz!!

Anônimo disse...

O meu primeiro foi tão mal educado que sem me conhecer, apareceu com toda a família e mais gatos, papagaios e periquitos.....rsrsrs......Eram tantos que nem tentei arrancá-los...mandei logo um tintura e nem me atrevo a contar quantos mais apareceram. A vida é maravilhosa para nos preocuparmos com “coisas” pequenas. Somos loiras sim, burras jamais....rsrsrsrs.......Bjs....Laiza.

Postar um comentário

SEUS COMENTÁRIOS SÃO MUITOS IMPORTANTES!!!

Postar um comentário

SEUS COMENTÁRIOS SÃO MUITOS IMPORTANTES!!!